CERILUZ GARANTE VENDA DE ENERGIA DA PCH SEDE II EM LEILÃO DA ANEEL

PchsedeIIleilãoMesmo com as obras em fase inicial, a Ceriluz já garantiu a venda de parte da energia gerada pela Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Sede II Centenária. A Cooperativa participou na última sexta-feira, dia 31 de agosto, do Leilão de Geração nº 03/2018 (A-6), realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). A usina – de responsabilidade da empresa Ijuí Centenária Geração SPE Ltda., empresa que integra o Grupo Ceriluz - está em obras no leito do rio Potiribu, em Ijuí e foi uma das contempladas, garantindo a venda de 70% da sua produção por período de 30 anos, o que representará ingresso de receita total de R$118.538.647,15, diluída em três décadas. O contrato prevê o início da entrega da energia em primeiro de janeiro de 2024, a um preço de R$195,97 pelo MWh.

O presidente da Ceriluz, Iloir de Pauli, comemora o resultado alcançado. Ele lembra que, como a previsão da conclusão da obra da PCH Sede II Centenária é julho de 2020, segundo a outorga, a Cooperativa terá praticamente quatro anos para vender toda a energia no Mercado Livre, até o início do contrato. E, mesmo após, além de ter a receita fixa garantida, ainda terá 30% da energia disponível para realizar negócios livremente. “Vemos esse resultado do leilão como uma conquista, já que a venda antecipada de energia nos dá uma segurança financeira muito grande. É um novo momento da nossa Cooperativa, que nos dá garantia de retorno sobre o investimento que nós ainda vamos fazer”, afirma Iloir. O custo da obra está estimado em R$40 milhões de reais, parte com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento (BRDE).

Foi o primeiro leilão onde a Ceriluz foi contemplada com a comercialização da energia de uma de suas usinas. Atualmente toda a energia gerada pelas usinas da Ceriluz é vendida no Mercado Livre. “É uma nova experiência que fortalece a Ceriluz, que passa a participar mais efetivamente do cenário elétrico brasileiro”, conclui o presidente.

O leilão realizado pela ANEEL movimentou ao todo R$ 23,6 bilhões em contratos, equivalentes ao montante de 168.033.684 MWh de energia. O preço médio ao final das negociações foi de R$ 140,87 por MWh.