COLABORADORES ENFRENTAM EXAMES PARA CONFIRMAR APTIDÃO AO TRABALHO

DSC 0041O mês de julho foi dedicado a cuidar da saúde dos colaboradores da Ceriluz. No período aconteceram os exames médicos periódicos, atendendo o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), definido pelas normas trabalhistas do Ministério do Trabalho. As exigências são maiores para os colaboradores da área técnica, que atuam em altura. De acordo com a Norma Regulamentadora 35 – NR35, empresas onde os trabalhadores trabalham em altura acima de 2m do solo, além dos treinamentos específicos para suas funções, devem garantir-lhes alguns exames complementares para assegurar sua integridade física.

Para trabalho em altura, são exigidos os exames de acuidade visual, audiometria ocupacional, eletrocardiograma, eletroencefalograma, glicemia de jejum e um hemograma completo. Esta verificação visa identificar apologias que podem originar mal súbito e queda de altura. Além desses exames também são avaliados fatores psicossociais para atestar a aptidão para o trabalho em redes.

O PCMSO também estabelece a realização de exames médicos admissionais, de retorno ao trabalho, mudança de função e demissional. O objetivo é prevenir, monitorar e controlar possíveis danos à saúde e integridade do empregado e detectar riscos prévios, especialmente no que diz respeito às doenças relacionadas ao trabalho.

Todas as empresas, independente do número de funcionários, são obrigadas a disponibilizar o atendimento médico ocupacional. A elaboração do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional e a definição dos exames complementares a serem realizados nos funcionários é tarefa do médico do trabalho, considerando as exigências específicas das NRs relativas às áreas de atuação da empresa, no caso da Ceriluz, o médico do trabalho Ernani Oppermann.

Sobre esse tema conversamos com o médico do trabalho Ernani Oppermann Filho, responsável pela implantação do PCMSO na Ceriluz, no Informativo Ceriluz do dia 20 de julho. Você pode ouvi-lo acessando aqui.