FEPAM EMITE LICENÇA QUE AUTORIZA OBRA DA PCH SEDE II - CENTENÁRIA

PCh Sede II - CentenáriasiteA Ceriluz comemora a obtenção da Licença de Instalação (LI) de mais uma Pequena Central Hidrelétrica (PCH), emitida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (FEPAM), na sexta-feira, dia 23 de março. O órgão ambiental estadual autorizou a implantação da PCH Sede II - Centenária, no leito do Rio Potiribu, na Linha 04 Leste, em Ijuí. O projeto é de autoria da empresa Ijuí Centenária Geração SPE Ltda., da qual a Ceriluz tem 99% do capital social. A PCH Sede II/Centenária - que ganha esse nome em homenagem a Usina Velha, que completará 100 anos em 2023 - terá uma barragem acima da Cascata Wazlawick, túnel de adução de aproximadamente dois quilômetros e Casa de Máquinas próxima à Associação dos Apicultores de Ijuí (foto), alcançando um declive total de aproximadamente 40 metros, o que possibilitará uma capacidade instalada de 07 Megawatts (MW).

A expectativa da direção da Ceriluz é que as obras iniciem efetivamente no segundo semestre de 2018, sendo que nos próximos meses, a partir da LI em mãos, intensifica-se o trabalho de busca de recursos junto a agentes financiadores, onde já tramitam propostas.

Desativação da Usina Velha - O projeto em questão, pela sua localização e características, exigirá a desativação da Central Geradora Hidrelétrica (CGH) Usina da Sede, mais conhecida por Usina Velha, do Departamento Municipal de Energia de Ijuí – DEMEI. Essa desativação era um dos critérios exigidos pela FEPAM para a liberação da licença e foi autorizada no dia 04 de outubro de 2017, quando o prefeito de Ijuí, Valdir Heck, assinou a Lei nº 6.569 que versa sobre esse fim. Antes da sanção, o projeto de lei já havia passado pela avaliação do Poder Legislativo no dia 25 setembro de 2017, quando os vereadores de Ijuí aprovaram, por unanimidade, a proposta de desativação da Usina Velha. Em contrapartida, a Ceriluz repassará o valor da geração atual da Usina Velha ao município e garantirá o retorno do ICMS. A Cooperativa ainda fornecerá 65 mil metros cúbicos de pedra - retiradas do canteiro de obras – para o uso pelo Poder Executivo na infraestrutura do município e irá recuperar parte da estrutura física da Usina velha, que continuará sendo usada como atração turística.