CERILUZ ENCERRA SÉRIE DE DEZ ENCONTROS ENTRE ASSOCIADOS

DSC 0195Após uma semana de pausa na realização dos encontros de comunidade, na última semana a Ceriluz voltou a promover as atividades previstas para junto aos associados em 2016, pelo Programa Além da Energia - Ano do Cinquentenário. Neste ano foi ministrada a palestra “Casamento, uma relação de gratidão”, pelo palestrante Marcel Scalco, especialista em desenvolvimento humano. No total foram realizados dez encontros, sendo cinco na semana que passou: na quarta-feira (01.06), no Clube Ipiranga de Coronel Barros, às 19h; na quinta-feira (02.06), no salão Paroquial de Chiapetta, às 10h e no salão Comunitário de Floresta, Ijuí, às 19h; na sexta-feira (03.06) no Salão do Flamengo, em Colônia Santo Antônio, Ijuí, às 10h e na Sociedade União Afucoper, em Ijuí, às 19h, este último voltado para os colaboradores e conjuges.

A palestra voltou sua atenção para o relacionamento entre casais, abordando alguns pontos fundamentais para a melhoria da convivência. Entre estes pontos, a necessidade de aprender a conviver com os sentimentos, inclusive aqueles que denominamos como ruins, como a tristeza, o medo e a raiva.

“Os sentimentos nos foram dados para nos protegermos, mesmo aqueles que nós chamamos de ruins, mas nós não fomos preparados para utilizá-los então nós não utilizamos o medo para tomar cuidado e nos proteger e acabamos paralisados diante dos desafios da vida; a gente não utiliza a tristeza como uma oportunidade de aprendizado e termina se afundando numa depressão e a gente também não usa a raiva para reagir e mudar a realidade e acabamos usando a raiva para agredir, justamente, as pessoas que mais amamos”, explica o palestrante Marcel Scalco.

Outra dica importante trazida por Scalco diz respeito à gestão do relacionamento com pais, sogros e a nova família do casal. “90% dos casamentos que acabam não acabam porque não havia amor entre o marido e a mulher. Acabam porque a carga emocional, psicoespiritual e afetiva que nós trazemos de nossa família de origem, do nosso pai e de nossa mãe, se faz presente no casamento atual. Às vezes nós brigamos não porque não nos amamos, mas porque sentimos falta do amor que vem do pai e da mãe e do respeito que nós todos devemos ao nosso sogro e a nossa sogra. Ao amar os pais e amar os sogros a gente está cultivando um casamento feliz”, orienta o palestrante.

O associado Telmo Sfalcin, de Catuípe, avaliou como positiva a palestra e destacou o alerta feito pelo palestrante para os efeitos do cotidiano no relacionamento familiar. “Muito propícia para nós (a palestra) que vivemos num mundo agitado, corrido, pensando em pagar contas, onde a gente se envolve no serviço e acaba não se dando por conta do que é mais importante: a família ou a parte econômica?”, questiona Sfalcin. “A partir de palestras como a de hoje a gente consegue ver que a realidade do ter não nos leva a nada e sim o ser, ser como família, ser esposa, ser mãe [...] buscar resolver dentro de nós aquilo que nos incomoda, que é inconsciente e que nos afeta”, complementa Sirlei Dallabrida, associada do município de Chiapetta.

Antes destes encontros outros cinco já haviam sido realizados entre os dias 18 e 20 de maio, em comunidades de Ajuricaba, Catuípe, Bozano, Ijuí e Augusto Pestana, entre os dias 18 e 20 de maio.

00 geral

01 Ajuricaba

02 catuipe

03 Bozano

04 barreiro

05 Ijuizinho

06 Coronel barros

07 Chiapetta

08 Floresta

09 Sto Antonio

10 afucoper