COLABORADORES DA CERILUZ RETOMAM NORMAS DA NR-35 E NR-12

DSC 8930 siteOs colaboradores da área técnica da Ceriluz tiverem dias diferenciados entre 20 de julho a 07 de agosto. Trata-se de um período marcado pela qualificação na área de segurança no trabalho. De 20 a 24 de julho eles enfrentaram a Reciclagem da Norma Regulamentadora (NR) 35, que trata dos riscos de acidentes no trabalho em altura, curso que terá sequencia nos dias 03 e 04 de agosto. Já o treinamento da NR-12, que abordou os riscos de acidentes no uso de motosserras, foi realizado entre os dias 27 e 30 de julho.

O treinamento da NR-35 tem carga horária mínima de oito horas e é oferecido pela Ceriluz a cada dois anos, seguindo a regulamentação do Ministério do Trabalho. São abordadas a teoria e a prática, com orientações sobre instalação de linhas de vida, baixamento de vítimas de acidentes, resgate em altura com procedimentos e equipamentos padronizados, entre outras ações que seguem o padrão FECOERGS – Federação das Cooperativas de Eletrificação e Desenvolvimento Rural do RS. Os colaboradores foram divididos em grupos de modo que todos fossem beneficiados sem o comprometimento das atividades diárias. A reciclagem é fundamental considerando que estes funcionários realizam cotidianamente atividades em altura, subindo em postes e operando guindautos, entre outras situações. “Todos os trabalhadores que sobem em altura, acima de dois metros, fizeram o treinamento, relembrando os treinamentos anteriores já realizados”, explica a técnica em segurança no trabalho, Andréa Cargnelutti. No total foram 74 colaboradores da Cooperativa, que atuam tanto nas áreas de distribuição quanto de geração de energia. Também participaram trabalhadores da Empreiteira JL, que presta serviços à Ceriluz.

Já a NR-12 define referências técnicas e medidas de proteção para garantir a saúde e a integridade física dos trabalhadores e estabelece requisitos mínimos para a prevenção de acidentes relacionados ao uso de máquinas e equipamentos. O treinamento em questão abordou principalmente o anexo V, sobre o uso de motosserras. Segundo Andréa, por lei, os empregadores devem promover a todos os operadores de motosserra e similares, treinamento para utilização segura da máquina, com conteúdo programático relativo à utilização constante do manual de instruções. O treinamento foi realizado em três turmas, sendo 16 horas cada turma, também com parte teórica e prática a campo.

Participaram todos os trabalhadores que operam motosserra, tanto da geração como da distribuição. Conforme Andréa, além do treinamento, a Cooperativa também disponibiliza a todos os equipamentos de proteção  necessários para o trabalho seguro com estes equipamentos.

O responsável por ministrar os cursos foi o engenheiro de segurança no trabalho, Fernando Wypyszynski, professor da Unijuí, dos cursos de engenharia elétrica e civil. A orientação prática ficou a cargo do instrutor Maurício Martins Borges, eletrotécnico especializado em segurança. Uma entrevista com o professor Fernando pode ser ouvida na edição do Informativo Ceriluz do dia 24 de julho, clicando aqui.