CGH Igrejinha

DSC 0009

A Central Geradora Hidrelétrica (CGH) Igrejinha é um empreendimento de intercooperação entre as cooperativas Ceriluz, com 59% de participação no projeto, e a Coprel, de Ibirubá, que tem 41%. Em construção na divisa entre os municípios de Boa Vista do Cadeado e Jóia, aproveitará a vazão d'água do rio Ijuizinho para gerar 4,85 Megawatts (MW). A Licença de Instalação (LI) foi emitidda pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental - FEPAM, no final de 2017 e, logo após, foi feita a aquisição das terras, incluindo áreas destinadas à obra e para Proteção Permanente (APP). O valor total do empreendimento está estimado em R$ 30,2 milhões sendo que 29 milhões (95%) serão financiados pelo BRDE, com prazo de 240 meses. A obra iniciou efetivamente no mês de maio de 2019 devendo se estender por aproximadamente 18 meses.

Sobre o projeto

Municípios: Boa Vista do Cadeado / Jóia – RS

Rio: Ijuizinho

Potência: 4,85MW

Queda Bruta: 18,45m

 

Dados técnicos do financiamento

Valor total do projeto: R$ 30.255.560,00

Valor total do financiamento: R$  29.000.000,00  (95,85%)

Prazo total de financiamento: 240 meses (20 anos)

Período do projeto: Abril/2019 até Setembro/2020


Plano Ambiental de Conservação e Uso do Entorno e das Águas do Reservatório Artificial

Visa atender a legislação ambiental vigente, seguindo orientações do Termo de Referência estabelecido pela FEPAM e Resolução CONAMA nº 302/2002. Acesse a íntegra do seu conteúdo abaixo.

PACUERA

Geração Distribuída

Casos não abrangidos pela Resolução Normativa nº 482/12, como centrais geradoras que desejam comercializar a energia gerada ou que possuam potência instalada superior a 3 MW para fontes hídricas ou 5 MW para outras fontes específicas, devem contatar a Cooperativa pelo e-mail do atendimento conforme endereço abaixo:

Microgeradores e Minigeradores

A CERILUZ atende a Resolução Normativa ANEEL nº 482/12 (atualizada pela Resolução Normativa ANEEL nº 687/2015), a qual estabelece as condições gerais para o acesso de geração distribuída aos sistemas de distribuição de energia elétrica, na forma de microgeração (até 75 kW) e minigeração (acima de 75kW), assim como regulamenta o processo de compensação de energia elétrica.

As exigências técnicas e comerciais adotadas pela CERILUZ para conexão na modalidade de Microgeração e Minigeração correspondem ao estabelecido na Resolução Normativa ANEEL nº 482/12 e no Módulo 3 dos Procedimentos de Distribuição (ver seção 3.7).

Dessa forma a CERILUZ permite que unidades consumidoras previamente cadastradas disponibilizem energia de fontes alternativas (hidráulica, solar, eólica, biomassa ou cogeração qualificada) por meio de empréstimo não remunerado à CERILUZ para compensação em até 60 meses na forma de consumo de energia elétrica ativa.

A CERILUZ sugere a realização de consulta de acesso previamente a etapa de solicitação de acesso, já que a esta disponibiliza equipe técnica e comercial para realização de esclarecimentos aos clientes e profissionais interessados, inclusive através de reuniões presenciais, que podem ser agendadas através do e-mail do atendimento já citado no topo desta página ou pelo telefone 0800 51 3100 ou 0800-040-1010 com Setor de Atendimento desta cooperativa.

As informações sobre a geração devem ser organizadas de acordo com a potência instalada e apresentadas em documentos:

A CERILUZ orienta seus clientes sobre a importância de contratar profissionais qualificados para o projeto e a instalação da geração, bem como a aquisição de materiais e equipamentos certificados.

As normas técnicas de apresentação de projetos e instalações podem ser acessadas no site da FECOERGS.

Os documentos devem ser enviados em formato digital através do formulário Analise de Projetos, e consultas de informações, atualizações cadastrais e solicitações de serviços podem ser realizados pelo canal Agência Virtual (Serviços Online).

Para mais informações sobre Geração Distribuída acesse o site da Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL.

Bandeiras Tarifárias

Desde o mês de julho de 2015 as cooperativas de distribuição de energia, o que inclui a Ceriluz, passaram a aplicar em suas faturas de energia o Sistema de Bandeiras Tarifárias, que consistem em aumentos de valor quando há elevação no custo de produção de energia no país. Sendo assim os associados da Ceriluz também estão contribuindo com essa taxa instituída pelo governo federal, para subsidiar a escassez na geração de energia elétrica no Brasil. Os consumidores de energia das demais concessionárias brasileiras já vêm contribuindo com esse valor desde janeiro do mesmo ano.

As bandeiras tarifárias foram implantadas para suprir o custo da geração térmica no Brasil, matriz energética que precisou ser usada para compensar a falta da energia hídrica, em razão da estiagem nas regiões centrais e norte do país. Criado pela ANEEL, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica.

O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

PEE

P1010031

A Ceriluz desenvolve o Programa de Eficiência Energética (PEE), se adequando às exigências da Agência Nacional de Energia Elétrica - ANEEL. A Lei número 9.991, de 24 de julho de 2000, define que as empresas concessionárias ou permissionárias de distribuição de energia elétrica devem aplicar 0,5% da receita operacional líquida em programas que tornem o uso da energia mais eficiente. O objetivo do PEE é tomar medidas positivas que podem ter reflexos consistentes no combate ao desperdício de energia elétrica, beneficiando não só o consumidor individual, que pagará menos mensalmente, mas a comunidade que depende do fornecimento de energia da Cooperativa. Por meio do programa, além de estimular o consumo consciente através de um processo de educação ambiental que visa o uso correto de equipamentos eletroeletrônicos, a Ceriluz está possibilitando aos consumidores enquadrados na Classe Baixa Renda, melhorias na sua casa e a substituição de equipamentos, com o objetivo de diminuir o seu consumo de energia mensal. Para isso, foi realizado levantamento entre os consumidores selecionando àqueles que se adequaram às exigências da ANEEL e que demonstraram interesse em fazer a substituição.

Por meio do programa estão sendo distribuídos:

·                    1.600 lâmpadas leds - 08 watts, 90 a 265 volts

·                    07 Geladeiras – 300 litros, consumo 35,5 kWh/mês

·                    18 geladeiras – 239 litros, consumo 23,4 kwh/m

·                    25 sistemas de aquecimento solar, Heliotek, 200 litros, 2.500 Watts.

·                    15 novos padrões de entrada.

 

 PORQUE SUBSTITUIR EQUIPAMENTOS ANTIGOS

O associado pode estar se perguntando quais as reais vantagens de substituir estes equipamentos por novos? Este informativo, além de apresentar o Programa de Eficiência Energética, tem o objetivo de esclarecer algumas dúvidas neste sentido. Vamos saber agora porque é importante substituir alguns equipamentos antigos por novos.

  AQUECEDOR SOLAR

AquecedorsolarO objetivo do sistema de aquecimento solar é reduzir a necessidade de energia elétrica para aquecer a água de chuveiros, uma vez que será utilizado o calor do sol para este fim. Estudos comprovam que na região Sul esta energia é eficiente em pelo menos 75% do ano. Mas claro que, caso o sol não venha a brilhar intensamente num dia chuvoso, ninguém tomará banho frio. Um sistema de apoio elétrico vai compensar este aquecimento, garantindo a temperatura ideal. O consumidor vai economizar, pois estará utilizando uma fonte limpa e inesgotável para suas atividades que exigem água quente, deixando de consumir energia elétrica fornecida pela Ceriluz. A manutenção deste equipamento é baixa, exigindo, a princípio, apenas lavagens externas dos vidros duas vezes por ano e a drenagem do sistema uma vez por ano. A vida útil de um aquecedor solar está estimada em mais de 20 anos.

  LÂMPADAS LEDs

O ideal é diminuir ao máximo o uso das lâmpadas, especialmente durante o dia, aproveitando a claridade do sol. Mas claro que, à noite, elas são indispensáveis. Sendo assim, nada melhor do que utilizar lâmpadas mais econômicas e, por isso, a Ceriluz está substituindo as lâmpadas incandescentes por lâmpadas LEDs, última tecnologia em termos de iluminação. O LED é um componente eletrônico, mais precisamente, um diodo semicondutor que converte mais de 80% da energia que recebe em luz. Estudos indicam que a economia com o uso de LEDs pode ser de até 95%. Comparativamente, 01 lâmpada incandescente de 60 Watts pode ser substituída por 01 lâmpada a LED de 4,5 W com economia de 55,5 W/hora. Já em vida útil, as lâmpadas LEDs têm mais de 50.000 horas, enquanto que as incandescentes têm 1.000 horas e a fluorescente compacta tem 10.000 horas. É um investimento viável e, neste caso, é a Ceriluz que investe pelo associado.

  GELADEIRAS

O Programa de Eficiência Energética Ceriluz/Aneel também contempla a substituição de geladeiras velhas. Segundo estudos da Agência Nacional de Energia Elétrica os equipamentos para resfriamento de alimentos representam aproximadamente 1/3 da demanda de energia dentro de uma residência. E quanto mais antigas pior, uma vez que, além de possuírem uma eficiência menor o desgaste de seus equipamentos e borrachas vedantes acaba exigindo mais energia para resfriar na intensidade ideal. Por isso, é fundamental substituí-los de tempos em tempos. A Ceriluz está possibilitando isso oferecendo refrigeradores novos com selo de eficiência Inmetro de consumo “A”, ou seja, que apresentam o menor consumo do mercado. Estima-se que a substituição de uma geladeira antiga por uma nova alcança uma redução de 70% na demanda destes equipamentos.

  PADRÕES DE ENTRADA

A Cooperativa também está realizando a substituição de padrões de entrada de energia que estejam em condições irregulares. O objetivo é garantir a segurança dos consumidores e a adequação técnica das novas instalações, que devem seguir ao Regulamento de Instalações Consumidoras (RIC) que determina normas de instalação para unidades ligadas em baixa e média tensão.

  DESTINO CORRETO

As geladeiras e lâmpadas substituídas pela Ceriluz são devidamente coletadas, transportadas e encaminhadas para reciclagem pela Central de Tratamento de Resíduos - CETRIC, de Panambi. Trata-se de uma empresa que preenche todos os requisitos solicitados pelos órgãos ambientais, principalmente a Fundação Estadual de Proteção Ambiental - FEPAM, para coleta, transporte e destino de resíduos sólidos industriais. Os custos desta empresa também serão arcados pela Ceriluz e, sendo assim, os associados podem ficar tranquilos quanto ao correto destino dos equipamentos eletroeletrônicos retirados de sua residência.

  CONSUMO CONSCIENTE

Equipamentos novos possibilitam uma significativa economia de energia. Essa economia, aliás, será aferida pela Ceriluz e os resultados encaminhados para a Agência Nacional de Energia Elétrica. Porém, aos associados/consumidores também cabe tomar iniciativas pró-ativas no sentido de ajudar a si próprios a economizar energia. Isso ocorre por meio do uso correto dos equipamentos eletroeletrônicos, especialmente aqueles usados para produzir calor ou resfriar ambientes. Por isso, junto com este informativo, encaminhamos o Manual do Consumidor, que traz dicas de consumo consciente de energia, informações sobre segurança ao interagir com energia elétrica e, para o caso de um acidente ocorrer, sugestões de ações para minimizar os efeitos e salvar vidas. Conheça o Manual do Consumidor acessando o link abaixo:

Manual do Consumidor